Vai sair do papel: Trevo em Jaguapitã está em fase final de Licitação

0

O acesso à Jaguapitã pelas PR-170 e PR-340 é um perigo para os motoristas. Pouca visibilidade, tráfego intenso e pesado principalmente de caminhões. Os motoristas que vem de uma PR para entrar na outra precisam cruzar os dois sentidos de uma rodovia com pista simples – uma manobra com alto risco de acidentes.

O processo licitatório para dar fim a esta falta de segurança está em andamento e três empresas apresentaram propostas para a obra do Trevo de Jaguapitã. O próximo passo será a sessão de abertura dos envelopes contendo os documentos de habilitação das empresas Gaissler Moreira Engenharia Civil Eireli, a Weiller Construção Civil e a JRA Pereira Construtora e Consultoria, marcada para a próxima quarta-feira de manhã (dia 16), no DER, em Londrina. O menor preço apresentando foi R$ 1,7 milhão da J.R.A. Pereira Construtora E Consultoria Ltda – EPP.

O edital prevê a construção de um trevo, em rotatória alongada, na interseção das PR-170 e PR-340, ponto de encontro de duas rodovias com tráfego intenso e pesado. “Conseguimos recursos de quase R$ 2 milhões de reais para a execução da obra e a elaboração do projeto pelo DER. Agora é o andamento da licitação para que a empresa vencedora comece a executar esta obra que vai beneficiar tantas pessoas que buscam um acesso seguro”, comentou Tiago Amaral. O prazo de execução é de seis meses, após a assinatura do contrato.

Trevo Alvorada do Sul a Florestópolis – No mesmo edital, em lote separado, também está previsto um trevo de entroncamento da PR-090 com acesso à cidade de Alvorada do Sul, vindo de Florestópolis. Neste lote, a empresa Gaissler Moreira Engenharia Civil Eireli ficou em primeiro lugar com a proposta de R$ 770 mil. A obra tem prazo de execução de quatro meses, após a assinatura do contrato.

Rosi Guilhen/Assessora de Comunicação deputado Tiago Amaral

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *