Saiba detalhes exclusivos do latrocínio ocorrido em Florestópolis

0

No final da manhã desta quinta-feira, 24 de janeiro, conversamos brevemente com a Delegada substituta da polícia civil de Porecatu, Thaís Orlandini, que nos relatou alguns detalhes exclusivos do latrocínio contra o morador de Florestópolis, Antonio Bocato, irmão do antigo vice-prefeito do município, Élio Bocato.

Nesta quinta, o possível autor do crime, um adolescente de 17 anos e 8 meses (quatro meses para completar a maioridade penal), foi detido pela polícia militar de Florestópolis e encaminhado à Delegacia de Porecatu.

Antes dele, duas menores do sexo feminino de 15 e 17 anos, foram detidas na tarde da última quarta (23), por um possível envolvimento no crime. Uma delas teria esquecido o celular na residência de Antonio, local que ele foi encontrado morto.

DETALHES DO CRIME DE ACORDO COM AS ADOLESCENTES

Segundo trechos do depoimento das duas adolescentes apreendidas, elas estavam na casa da vítima na noite da última terça-feira, 22 de janeiro, data que o crime teria sido efetuado.

Elas afirmaram em depoimento que doparam à vítima (colocaram um comprimido de dormir em uma taça de vinho) e tinham o intuito de pegar o veículo de Antônio para dar uma passeada no município de Londrina.

Em uma certa altura, elas e a vítima teriam ido ao encontro do outro adolescente que teria envolvimento no crime para comprar maconha. Ao voltar para residência, elas teriam ouvido alguns barulhos de uma suposta briga entre o adolescente e a vítima e após o ocorrido elas saíram em fuga junto com o possível autor do crime.

Elas afirmam que foram ameaçadas pelo menor e que ao invés de irem até Londrina, eles foram sentido à divisa com o estado de São Paulo, passando por Porecatu para abastecer o veículo. Ainda segundo as adolescentes, o carro teria atolado em um local no município de Iepê fazendo eles retornarem de carona a Florestópolis.

Carro foi encontrado com pneus cobertos de lama.

VÍTIMA FOI ENCONTRADA COM UMA PERFURAÇÃO NO PESCOÇO

Ao contrário do que se ventilou após o crime ser descoberto, que a morte teria sido a pauladas, a investigação da polícia civil de Porecatu afirma que Antônio morreu por um objeto perfurante, muito provavelmente por uma faca. Ele foi encontrado com 1 (um) sinal de perfuração na região do pescoço e todo coberto com roupas espalhadas pelo corpo.

Além disso, a polícia civil trabalha com a hipótese da vítima ter sido surpreendida com o ataque (ter tomado uma possível facada pelas costas ou de surpresa). A possibilidade de ter entrado em luta corporal com o adolescente é bastante remota.

ADOLESCENTES NA MÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DO PODER JUDICIÁRIO

Após inquérito feito pela polícia civil, os adolescentes, possíveis participantes do crime, estarão aguardando decisões do Ministério Público e do Poder Judiciário da comarca de Porecatu.

Por não terem maioridade penal (18 anos), eles podem ser INTERNADOS no CENSE (Centro de Socioeducação), onde ficariam por um prazo máximo de 3 anos. Após esse período, eles estarão livres.

No entanto, para isso acontecer o Ministério Público tem que fazer o pedido de internação ao poder judiciário. Após um possível pedido de internação feito pelo MP, o juiz responsável decide se eles serão ou não internados.

Tanto o MP pode decidir que não é necessário realizar o pedido, quanto o poder judiciário pode negar um possível pedido de internação.

 

O adolescente que foi detido na manhã desta quinta em Florestópolis será ouvido pela delegada responsável pelo inquérito nesta tarde (24). O prazo máximo para os três menores ficarem sob monitoramento da polícia civil é de 5 dias, a partir do dia da apreensão. Passado este período, ou eles irão para o CENSE ou voltarão para casa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *