Professora que agrediu e torturou crianças em Astorga é condenada a 13 anos de prisão

0

Via Tarobá News

A Justiça condenou uma professora de Astorga, no Norte do Paraná, a 13 anos e 9 meses de prisão por torturar pelo menos cinco crianças menores de 3 anos em um Centro de Educação Infantil do município.

Outras duas professoras foram condenadas a 4 anos e 9 meses em regime semiaberto por omissão perante tortura.

De acordo com o procurador responsável pelo caso, Lucílio de Held Jr, a denúncia foi feita por uma estagiária e os crimes foram evidenciados por imagens de câmeras de segurança. Os casos ocorreram na turma I D, da creche.
A denúncia aponta que as professoras davam tapas e gritavam com as crianças.

“Elas usavam o tom de voz de forma desmedida e agressiva, arremessavam as crianças nos colchões de qualquer jeito, carregavam as crianças penduradas pelo braço. Elas chutavam o colchão com as crianças deitadas, empurravam o colchão com os pés de qualquer forma”, afirmou o procurador.

Held afirmou que as denúncias feitas pela testemunha presencial bateram com informações relatadas pelos pais.

“A testemunha afirmou que algumas crianças eram tratadas com crueldade na hora do banho – como agressão com celulares – e os pais relatavam que essas mesmas crianças desenvolveram alteração comportamental na hora do banho em casa. Elas demonstravam fobia”, explicou.

Segundo o procurador, a denunciante e os pais não tiveram contato. O caso foi investigado pela própria procuradoria com o objetivo de dar agilidade ao processo.

Além das penas, a Justiça determinou que as três professoras sejam exonerados e que não possam ocupar cargos públicos pelo dobro do tempo de condenação.

As defesas podem recorrer da sentença.

Comentários

Os comentários estão desativados.