Prado Ferreira, Centenário do Sul, Colorado e Florestópolis pagam mais que o piso para professores; Já Miraselva…

0

Como informamos em reportagem anterior fazendo referência à Jaguapitã,  o portal da Gazeta do Povo realizou um levantamento exclusivo para traçar o cenário de remuneração dos professores nas redes municipais de ensino.

Todas as 399 prefeituras do estado foram contatadas, entre os meses de agosto e novembro. Em 15% dos municípios, não são respeitados os valores iniciais de R$ 1.149,40 para 20 horas semanais e R$ 2.298,80 para 40 horas.

Pesquisamos os casos de 18 municípios de nossa microrregião. Alguns bons exemplos pagam acima do piso, outros pagam o valor total do piso e em alguns casos, cidades não respeitam a lei e pagam abaixo do piso.

Os municípios que merecem todos os elogios por pagarem acima do piso são: Prado Ferreira, Flórida, Colorado, Florestópolis e Centenário do Sul. Prado, por sinal, é o município melhor ranqueado da região, é o décimo terceiro que paga um valor maior aos professores no estado, paga um valor de 44,33% acima do piso. Veja os dados desses municípios:

Prado Ferreira

Valor mínimo para 20 horas Valor mínimo para 40 horas
R$ 1.658,93 (44,33% acima do piso) Não tem professor
13º lugar

 

Flórida

Valor mínimo para 20 horas

R$1.314,36 (14,35% acima do piso)
60º lugar

 

Colorado

Valor mínimo para 20 horas Valor mínimo para 40 horas
R$ 1.253,65 (9,07% acima do piso) R$ 2.507,30 (9,07% acima do piso)
81º lugar 23º lugar

 

Florestópolis

Valor mínimo para 20 horas Valor mínimo para 40 horas
R$1.241,36 (8,00% acima do piso) R$2.482,72 (8,00% acima do piso)
89º lugar 26º lugar

 

Centenário do Sul

Valor mínimo para 20 horas Valor mínimo para 40 horas
R$ 1.214,17 (5,64% acima do piso) R$ 2.428,34 (5,64% acima do piso)
103º lugar 35º lugar

 

Dentre os casos negativos de municípios que remuneram seus docentes abaixo do piso nacional, o caso mais grave é o de Miraselva. O valor pago aos professores é de R$ 993,00, 13,61% abaixo do piso. A cidade está entre as dez piores pagadoras do estado. No entanto, Jaguapitã e Santo Inácio também figuram nesse triste grupo, com R$ 1.045,98 e R$ 1.067,83 respectivamente.

Guaraci, Cafeara, Itaguajé, Jardim Olinda, Lobato, Lupionópolis, Munhoz de Mello, Nossa Senhora das Graças, Porecatu e Santa Fé, pagam o valor do piso nacional, ou centavos a mais ou a menos do montante de R$ 1.149,40, valor estabelecido em 2017. A partir de janeiro/2018 os valores passam a ser R$ 1.227,68 para 20 horas e R$ 2.455,35 para a jornada de 40 horas semanais

Quem quiser consultar quanto os professores recebem em um município específico através da plataforma da GAZETA DO POVO é só clicar AQUI.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *