Mulher encontrada morta em Rio Paranapanema pode ter se matado por esquema de corrupção no HU

0

Via Tarobá News

A Polícia Civil acredita que a servidora acusada de coordenar um esquema de desvio de dinheiro no Hospital Universitário tenha cometido suicídio. O corpo dela foi encontrado no rio Paranapanema em outubro do ano passado sem marcas de violência.

No dia do desaparecimento, ela havia sido chamada para uma reunião com membros do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), onde teria que prestar contas sobre o dinheiro supostamente desviado. 

“Há uma cogitação muito forte de que ela possa ter se matado em razão da polícia ou de outras entidades terem descoberto essas diversas subtrações”, afirmou o delegado Thiago Vicentini da Divisão de Combate à Corrupção da Polícia Civil do Paraná. 

A conclusão definitiva, no entanto, só será conhecida após o fim do inquérito. “Extraoficialmente não há indicativos de uma morte oriunda de um homicídio. Por outro lado, o motivo da morte está no primeiro laudo como ‘causa indeterminada'”, ponderou o delegado. 

Ainda é preciso aguardar a elaboração de um laudo complementar que será realizado por um laboratório de Curitiba, que analisará material genético de Lucélia. O laudo de necropsia não apontou danos no crânio ou no corpo dela. 

Comentários

Os comentários estão desativados.