Garota Terceira Opinião: Entrevista com a candidata Victoria Meschiari

0

No dia 15 de dezembro, o Jornal Terceira Opinião, pela primeira vez, realizará o concurso “Garota Terceira Opinião”. 27 meninas de diversas cidades da região disputarão mais de 4 mil reais em premiações. O concurso será realizado no Guaraci Tênis Clube.

Por ordem alfabética, vamos conhecer nossa vigésima sexta concorrente, Veja:

NOME COMPLETO: Victoria Asencio Meschiari

CIDADE: Nossa Senhora das Graças 

IDADE: 19 anos

ALTURA1,64 cm

PESO52 kg

PARTICIPOU DE ALGUM CONCURSO DE BELEZA? OBTEVE ALGUMA PREMIAÇÃO?

R: “Sim, participei e ganhei do concurso Musa do São Paulo para um site de esportes”.

O QUE TE LEVOU A PARTICIPAR DO GAROTA TERCEIRA OPINIÃO?

R: “A visibilidade que o evento pode me trazer”.

QUAL MULHER É VISTA COMO REFERÊNCIA DE BELEZA POR VOCÊ?

R: “Camila Queiroz”.

QUAIS SÃO SEUS CUIDADOS PARA MANTER O VISUAL?

R: “Procuro fazer academia sempre que possível e mensalmente procuro ir ao salão de beleza”.

QUAL PARTE DO SEU CORPO VOCÊ MAIS GOSTA?

R: “Minha barriga”.

O QUE GOSTA DE FAZER EM SEU TEMPO LIVRE?

R: “Sair com os amigos”.

QUAL SEU ESTILO MUSICAL PREFERIDO? CITE UMA MÚSICA QUE VOCÊ GOSTE.

R: “MPB, no momento estou viciada em Capricorniana”.

SE PUDESSE MELHORAR ALGO EM SUA CIDADE, O QUE SERIA?

R: “Iria melhorar a segurança e o lazer da cidade. Um dos assuntos que tem entrado  em pauta nos últimos  tempos, a segurança pública se tornou preocupação até mesmo nas cidades consideradas pacatas, como Nossa Senhora das Graças. Para a segurança faria com que instalasse um sistema de monitoramento por câmeras de segurança fazendo com que a reação da polícia a crimes seja mais rápida.  E para melhoria do lazer público eu iria propor, espaços de lazer para crianças e oferecer locais para que elas possam desenvolver habilidades motoras, habilidades sociais e a capacidade de comunicação, tudo isso aliado ao entretenimento, além de dar opções para que os pais levem seus filhos para se divertirem ao ar livre. Logo, o investimento em balanços, gangorras e outros brinquedos coletivos contribui para a qualidade de vida”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *