Boi no Rolete é considerado herança cultural na cidade de Santa Fé

0

Reportagem de Maynara Guapo

O Boi no Rolete é uma herança cultural de 34 anos na cidade de Santa Fé. A festa é organizada pelo Rotary Club do município e teve início na presidência de Aparecido Scandelai e José Scandelai.

Durante três anos vinha uma equipe de Marechal Cândido Rondon para preparar o evento. Deorande Guapo, presidente fundador do Rotary, sempre esteve presente auxiliando no preparo dos bois. A partir da quarta festa, ele ficou encarregado de providenciar o pessoal e surpreendeu, disse que não havia procurado ninguém e que ele mesmo seria o responsável. Paulo Assaiante, presidente do clube na época, ficou espantado com a atitude de Seo Guapo, mas grato pelo resultado.  “Ficamos assustados, mas muito felizes pela surpresa e dedicação dele para todos. Durante muitos anos tínhamos uma grande despesa com a equipe que vinha fazer os bois. Deu tudo certo e ficamos muito agradecidos por ele ter se doado muitos anos assando”, diz.

Desde que assumiu o comando de tudo, Guapo decidiu inovar em detalhes no método de preparo da carne. Antes, as agulhas para injetar os temperos no boi eram curtas, iguais a de dar injeção em gado, apenas manuais, que foram modificadas e substituídas por  agulhas compridas e seringas  tocadas com  a pressão de reservatórios de garrafas de oxigênio. Além disso, criou um reservatório usado para colocar o tempero, tudo feito de inox.  O tempero passa por mangueiras de plástico, que todo ano são substituídas. “A ideia veio da minha cabeça e tive ajuda do meu filho Ailton que mexe com solda. Desenvolvemos o aparelho e adaptamos a saída com   oxigênio nas seringas e  com agulhas para injetar o tempero. Saía com força”, destaca, ato necessário para atingir toda a extensão da carne do animal e  para que tudo fique bem temperado.

 

Os bois são temperados no sábado, dia anterior à festa, aproximadamente às 17h, com as agulhas e os espetos especiais para esse fim, colocando no forno e depois descansando, tempo necessário para o tempero incorporar por algumas horas. Por volta das 20h é posto fogo e vai durante a noite toda, até às 10h do domingo. É preciso sempre alguém ficar cuidando para ver se está dando tudo certo. 11h é tirado do forno e a carne é picada depressa para ser servida, ainda quente.  No almoço, é oferecido também arroz, cupim, saladas, linguiça e bebidas, contando com muitos sorteios de brindes doados pelos patrocinadores e um grande show musical que se arrasta até o anoitecer.

Seo Guapo diz que o maior boi que já assou foi um de 19 arrobas e a maior quantidade  foram cinco de uma vez só, tamanha técnica e  qualidade reconhecida, que foi convidado para preparar o Boi no Rolete em várias cidades, como Astorga, Londrina, Umuarama, Marechal Cândido Rondon, Marialva, Araruna, por empresas como a Farinha Pinduca, Cerveja Conti,  A. J Rorato, Cooperativa Cocamar e  outras entidades do Rotary, tantas que já até perdeu a conta.  “Foi um hobbie na minha vida, sempre contei com a ajuda dos filhos e muitos amigos, que não posso nem citar nomes, tenho medo de esquecer algum, foram tantas amizades feitas em todas essas maravilhosas festas”, diz. Durante muitos anos, Seo Guapo foi considerado   um dos melhores assadores do País dessa tradicional festa.

O evento realizado em Santa Fé vende cerca de 1.400 a 1.500 ingressos adquiridos antecipadamente.  A festa conta com a ajuda de rotarianos,  interactianos  e de voluntários de outras entidades.

O Boi no Rolete exige muitos dias de organização, trabalho e dedicação, esforço que só o lema do Rotary para alimentar esse grande desafio: “Dar de si, antes de pensar em si.”

Deorande Guapo, 83 anos, teve que se ausentar e deixar um legado inspirador e marcante na trajetória da festa do Boi no Rolete. “Lutei muito por Santa Fé e dei o melhor de mim nessas festas. Graças a Deus sempre foi um sucesso.”

O evento sempre  é realizado  entre o final de abril e/ou início de maio de todo ano, com a colaboração  voluntária de empresários amigos, parceiros do Rotary e a presença dos moradores santafeenses e de todo Brasil.

O dinheiro arrecadado na festa  já teve muitos destinos beneficentes em  projetos humanitários da cidade.  Neste ano, o Rotary Club Santa Fé almeja conseguir uma máquina de fralda para o asilo.

Deorande Guapo é o presidente fundador do Rotary Club Santa Fé e responsável pelo preparo dos bois durante muitos anos

 

Comentários

Os comentários estão desativados.