Amontoadas em Barracão, famílias sem terra expulsas de fazenda em Florestópolis esperam por uma solução

0

Reportagem Claudio Osti – Mais Comunicação

Cerca de 40 Famílias de trabalhadores sem-terra, que foram expulsas pelo MST da Fazenda Porta do Céu, em Florestópolis, no último dia 31 estão pedindo uma solução para a situação delas.

As famílias foram levadas para um barracão onde funcionava uma associação de recicladores na entrada da cidade de Prado Ferreira. Adultos, idosos e crianças estão “amontoados” com seus pertences em local insalubre e sem assistência do poder público. Elas estão sem água, com pouco alimento e sem acesso a rede de saúde.

Relembrando o caso:

Na madrugada do dia 31 de maio um grupo armado do MST expulsou 115 famílias da Fazenda Porta do Céu, que fica na entrada de Florestópolis. A ocorrência foi registrada no Pelotão da Polícia Militar.

O grupo expulso é uma dissidência do MST. A Fazenda Porta do Céu pertence a Usina Central do Paraná, do grupo Atalla, e foi invadida há seis anos por aproximadamente 150 famílias de sem-terra, na época, todos do MST. Com o passar do tempo, 115 famílias, por não concordarem com os métodos do MST, decidiram organizar uma associação. Todas as famílias dissidentes foram expulsas da Porta do Céu.

Apesar da Justiça determinar a reintegração de posse até hoje o governo não cumpriu a decisão judicial.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *